Sentimento Latente

Contradizendo teu escrito:
Nosso amor não é finito.
Um eco ressoa no peito
E nessas lembranças, deleito.

Não há brinde que atente
À tanta transformação
No nosso palco da mente;
Amores na improvisação

Se desejas a despedida
Abdique de tudo, passado
E aceite de bom grado
Minha essência redimida.

Todo processo é dinâmico
Transformação tanto da alma 
Quanto do corpo orgânico
Que vivencia marés sem calma.

Ora não podes desperdiçar
Nenhum amor a viver
Tua arte se põe a gritar,
Pela plenitude do ser,

Tudo o que te motiva:
Deves vencer o medo
Torpe algoz do enredo;
Mantém a mente cativa.

Nosso amor fora tormenta
Concomitantemente, lindo.
Toda dor se torna isenta,
E toda mediocridade findo

E aceito aquele teu amor
Impossível de ser esquecido
E anseio pelo intenso ardor
Daquele vulcão adormecido

Amas a arte? amas a mim:
Moro na tua bela história
Parte essencial da memória
Da tua história sem fim.

(Alexandre Tavares)

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas